O ex-advogado da família Bolsonaro (do presidente Jair e do senador Flávio), Frederick Wassef, vai ser processado por injúria racial. Nesta semana, ele chamou... Wassef é acusado de ofender funcionária de pizzaria no DF: ele diz que é alvo de armação

O ex-advogado da família Bolsonaro (do presidente Jair e do senador Flávio), Frederick Wassef, vai ser processado por injúria racial.

Nesta semana, ele chamou uma funcionária de uma pizzaria de “macaca”.

O caso aconteceu no domingo (8), em uma franquia da Pizza Hut, em um shopping do Distrito Federal.

De acordo com a Polícia Civil, o advogado reclamou da pizza e perguntou se a atendente teria experimentado.

Ela respondeu que não e aí Wassef falou em voz alta: “Você é uma macaca! Você come o que te derem”.

Ao prestar queixa na delegacia nesta quarta-feira (11), a vítima disse que o advogado é cliente frequente da pizzaria e costuma tratar mal os funcionários: “é conhecido por se tratar de uma pessoa arrogante e que destrata e ofende os funcionários”.

Ela contou ainda que já teria sido “constrangida” e “muito humilhada” por ele em outras ocasiões e que isto era de conhecimento do gerente da loja.

Em nota, o advogado do grupo Pizza Hut Brasil, Bernardo Fenelou, disse que acompanhou a funcionária na delegacia e que “vem dando todo o suporte para os colaboradores e parceiros agredidos para que os mesmos façam valer os seus direitos e para que sejam tomadas as medidas necessárias para evitar que tais atos se repitam, entre as quais a comunicação dos fatos para as autoridades competentes mediante o registro de um boletim de ocorrência contra o agressor”.

Ele classificou os fatos como “inaceitáveis” e afirmou que a cliente “espera que a justiça seja feita”.

Também em nota, Wassef negou as acusações e se disse vítima de farsa e armação montada com objetivo de mover “ação indenizatória para ganhar dinheiro através desta fraude arquitetada”.

O advogado pretende entrar com um processo de calúnia contra a vítima.

“Não chamei ninguém de macaco. A funcionária não é negra e mentiu, afirmando que eu a chamei de negra e por isso não queria ser atendido por ela. Foi fazer um boletim de ocorrência três dias após o fato narrado, levou fotógrafo para tirar sua foto na delegacia fazendo o B.O [boletim de ocorrência] e divulgou para a imprensa imediatamente”, informou na nota.

Nesta semana, Wassef reapareceu no Palácio do Planalto pela primeira vez desde junho, após a prisão de Fabrício Queiroz, escondido no escritório dele em Atibaia (SP).

Até então era advogado do senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ), do qual Queiroz foi assessor e principal operador financeiro da “rachadinha”, o esquema de desvio de dinheiro público no gabinete de Flávio, que foi deputado estadual na Assembleia Legislativa do Rio.

Wassef disse à colunista Andréia Saddi, da GloboNews, que tinha ido buscar amigos no estacionamento.

Segundo a jornalista, o advogado ainda é muito influente dentro do governo Bolsonaro.

Equipe TV Democracia

Nenhum comentário ainda. Comente!

Be first to leave comment below.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *